Skip to content

joomla

Narrow screen resolution Wide screen resolution Increase font size Decrease font size Default font size
Início
CIRCUITO CULTURAL LUSÓFONO EM MATO GROSSO PDF Imprimir e-mail
CCL Mato Grosso O Centro de Eventos do Pantanal, em Cuiabá (capital do estado brasileiro de Mato Grosso) será palco da próxima etapa do Circuito Cultural Lusófono, nos dias 24 e 25 de novembro.

Para esta nova etapa do CCL, a Etnia, contou com parcerias do SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio ás Micro e Pequenas Empresas) e da Secretaria de Estado de Cultura de Mato Grosso.

Na programação, que inclui ainda debates, mesas-redondas e projecção de filmes, o destaque vai para a presença de dois dos mais categorizados músicos da Guiné-Bissau dos nossos dias,  Maio Coopé e Kimi Djabaté, que realizarão concertos e orientarão oficinas com artistas e comunidades locais.


Maio Coopé procurou sempre estar bem próximo da riqueza e da complexidade da música tradicional da Guiné-Bissau (onde existem 43 etnias diferentes), trabalhando a voz junto com percussão e desenvolvendo um repertório de canções populares a par de composições próprias. Internacionalmente, tornou-se conhecido no final da década de 80 com o grupo Gumbezarte, depois de uma extensa pesquisa sobre a cultura musical das várias etnias guineenses. Mais recentemente, tem vindo a dinamizar o projecto Djumbai Djaz.

Kimi Djabaté, guitarrista e balafonista originário da região de Tabato, vem evoluindo num percurso de solista nos últimos anos, até á gravação do seu recente trabalho - "Karan" - para uma editora independente nos EUA, que lhe valeu já referências extremamente elogiosas em várias revistas musicais de vários países e algumas semanas de permanência nos lugares cimeiros do painel europeu independente de programas de rádio dedicados ás chamadas músicas do mundo. Correm-lhe nas veias, as sonoridades de origem griot,  essa música clássica, delicada e contemplativa da cultura milenar e nobre do império mandinga. Juntos, eles criaram recentente o projecto Bantabá,  um encontro de sonoridades e de perspectivas etnomusicais no qual se tecem belíssimas e delicadas melodias trazendo consigo toda a carga emocional e mágica  dos blues nómadas da África Ocidental.

Maio Cooée e Kimi Djabaté levam assim ao público matogrossense a mistura genial do ritmo e da dança próprios da cultura guineense.
A participação artística de Mato Grosso nesta etapa do CCL está a cargo do Grupo de de Percussão Ionisation e do projeto social do sambista Caçula do Pandeiro.

O Grupo de Percussão Ionisation, liderado pelo percussionista Alex Teixeira e criado dentro da Universidade Federal de Mato Grosso,  reinterpreta ritmos regionais como o rasqueado, entre outras melodias do pantanal, com linguagens contemporâneas, adaptando para percussão um repertório que na sua origem assentava maioritariamente em instrumentos de cordas, numa proposta vanguardista.

O Projeto Cultural Caçula do Pandeiro, coordenado por Josimauro Marcelo da Silva, é um trabalho social importante realizado em Mato Grosso, contemplando mais de 50 crianças e desenvolvido em sete bairros da Baixada Cuiabana. As crianças, além de aprender a sambar e tocar pandeiro, também recebem aulas de cidadania.

O Circuito Cultural Lusófono é um programa que visa promover a divulgação, as trocas culturais e a geração de negócios culturais entre países e comunidades de língua portuguesa no mundo. Surge na sequência de vários projetos de intercâmbio que os seus promotores vêm desenvolvendo nos últimos anos, com a proposta de construir um instrumento eficaz e continuado de garantia de trabalho e de dignificação de criadores e agentes socioculturais lusófonos. O projeto é coordenado pela Associação Etnia , em colaboraçao com Associação Etnia Cabo Verde (África) e  o Instituto Cultural Lusófono (Brasil), com diversos parceiros nos locais e países por onde vem passando nos últimos tempos.

No Brasil, o Circuito está sendo apresentado desde Maio de 2009, tendo passado já pelos estados de Santa Catarina, Pernambuco, Minas Gerais e Bahia. Em Portugal , foi estreado em Èvora em Junho passado e está percorrendo algumas importantes cidades históricas do país. A próxima etapa acontecerá em Viana do Castelo, a 29 e 30 de Novembro corrente.

Segundo Mário Alves, presidente da Asssociação Etnia-Cultura e Desenvolvimento,  “é muito importante a construção de redes e a cooperação técnica para a promoção de intercâmbio entre os paises de lí­ngua portuguesa, todos com grande potencial adormecido e ainda desconhecido no Brasil e entre eles próprios, e o Circuito tem revelado ser uma grande oportunidade para a circulação da produção artístico/cultural  e até mesmo para o fomento de negócios culturais que dinamizem as economias locais da cultura dos países lusófonos”.

O programa CCL integra linguagens artísticas diversificadas e também actividades de formação e de articulação entre operadores culturais, poder público e outros componentes considerados fundamentais para o fortalecimento progressivo de práticas de cidadania intercultural no espaço da Lusofonia.

(nota de informação divulgada em Mato Grosso pela ETNIA e pela Produtora Cultural  Dom - Negócios Culturais)

Informações adicionais:

Em Portugal ou 21 395 82 20

No Brasil: , 0800 670 08000 ou (65) 9235 4295


Veja a programação do CCL em Cuiabá

 

 

 
< Artigo anterior   Artigo seguinte >

Redes e Parcerias